Crianças e adolescentes são flagrados trabalhando em cemitérios de Alagoas - Sertão News 24 Horas

Sertão News 24 Horas

Portal de noticias de Mata Grande-AL

Post Top Ad

PUBLICIDADE:












Crianças e adolescentes são flagrados trabalhando em cemitérios de Alagoas




Auditores do Ministério do Trabalho notificaram a prefeitura. Eles realizaram ação de fiscalização no Dia de Finados para tentar erradicar o trabalho infantil.

Foto : UOL


Auditores do Ministério do Trabalho flagraram crianças e adolescentes vendendo flores, velas e limpando túmulos nos cemitérios públicos nesta quinta-feira (2), feriado de Finados.

A fiscal Railene Leite afirmou que 17 menores deram entrevistas e forneceram informações ao órgão, mas um número maior de crianças e adolescentes foram flagrados trabalhando.

"É uma situação muito triste. É falta de perspectiva, estão fora da escola, não esperam nada da vida, estão lá apenas limpando túmulos. É muito difícil", disse Railene.

As operações de fiscalização foram realizadas nos cemitérios Nossa Senhora Mãe do Povo, em Jaraguá; Piedade, no Prado; e São José, no Trapiche da Barra. Responsável pelos cemitérios, a prefeitura de Maceió foi notificada pelos fiscais do Ministério.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Semds) informou que vai tomar as medidas necessárias requisitadas pelo Ministério.

"Além do trabalho prévio, a Secretaria Municipal de Assistência Social realizou ações dentro e no entorno dos cemitérios durante todo o feriado, mas devido à ausência de conselheiros tutelares - a quem cabe a retirada imediata de crianças e adolescentes em violação de direitos -, foi feita a identificação das crianças em situação de trabalho infantil e suas famílias para encaminhamento e acompanhamento pelos equipamentos sociais do município", diz um trecho da nota.

A doméstica Arlete Ambrósio é mãe de uma das crianças que estava trabalhando. Durante a ação, ela foi orientada pela equipe de fiscalização.

"Do jeito que a crise está, eu não posso trabalhar, ai eles têm que vir me ajudar. Eu não vou morrer de fome, nem eles", afirmou Arlete.

"Um jovem que a gente entrevistou disse que é contratado ganha R$ 100, R$ 120 por dia. Como que a gente vai afastar ele com esse ganho financeiro? Agora isso ele ganha em um dia, mas perde muito mais", completou Railene.



Em Arapiraca, a TV Gazeta também encontrou crianças expostas ao trabalho infantil. A fiscalização da prefeitura não conseguiu impedir.

"O Conselho Tutelar esteve ontem aqui, e disse que criança não pode trabalhar. Mas o que a gente vai fazer? É difícil, o trabalho da gente é complicado. Mas estamos na luta", afirmou o fiscal da prefeitura, Manoel Gonçalves.




Fonte : G1 AL